Bodas de papel

Foto: Reprodução

Minha amiga Andrea (in memoriam) sempre me dizia que eu deveria fazer algo que fosse além do jornalismo convencional, em temas como cultura, viagens, gastronomia e vinhos, design e decoração. “Lifestyle influencer”, ela especificava, numa época em que pouco se falava sobre essa geração Millennial dominando as redes sociais.

Há pouco mais de um ano, comecei a escrever neste jornal VANGUARDA. Os artigos retratavam minha opinião (arisca, na maioria das vezes, e livre de censura) sobre política, direitos humanos, cotidiano. Até que Lea Renata, nossa querida chefe de reportagem, disse uma coisa que me fez pensar: “você, com essa fineza e cara de rico, não dá pra fazer jornalismo investigativo. Deveria investir em assuntos mais divertidos”. Foi quando começamos com a editoria de moda do semanário. Meu blog foi lançado em paralelo, como extensão do conteúdo para o jornal. E como o mundo dá voltas!

O blog ganhou ares de site, com layout sofisticado, equipe, fontes preciosas, e ótimos parceiros. Da moda, passamos para o lifestyle, desde as notícias da sociedade no Nordeste inteiro, até a curadoria de conteúdo sobre insights de estilo de vida: a crítica gastronômica, pautas para revistas impressas, cobertura de eventos a nível nacional, crônicas sociais, e, mais recentemente, projetos crossmídia, como o serviço de Winehunter que fazemos para clubes de vinhos, e o aplicativo Oi Chef!, que será lançado em breve.

Obviamente não estou sozinho. Ninguém consegue fazer tanta coisa sem um talentoso time. Nomes como Diana Bezerra, que está sempre junto em qualquer ideia mirabolante; o maravilhoso Alô Alô Bahia, que me deixa com um pé cá, e outro em Salvador; a querida colega Jaciara Fernandes, que poderia ter torcido o nariz pra mim – como fez um imenso número de pessoas em Caruaru – mas preferiu me abraçar e cultivar nossa bela amizade; e uma turma que simplesmente faz e acontece (e rende pautas), como a empreendedora digital Narah Leandro e os produtores culturais Yone Amorim e Antonio Preggo.

Com tanta gente bacana ao meu redor, fica até fácil vestir a carapuça de lifestyle influencer, passar por cima dos obstáculos constantes e tocar esse barco adiante. É prazeroso comemorar esse primeiro ano, essas Bodas de Papel. Que venham os próximos anos. Sou pura gratidão.

Igor Zahir é jornalista, escritor, futurista e crítico cultural. Este texto foi publicado originalmente na coluna do Jornal Vanguarda, de Caruaru, no dia 23 de março de 2019.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *